Visões Úteis em 2023!

Visões Úteis em 2023!

2023!

Votos de um excelente 2023 para todos e para todas!
Preparamo-nos para iniciar mais um ano repleto de atividades, nos domínios da criação, programação, investigação, formação e edição!

No primeiro semestre do ano, aventuramo-nos em mais um formato "fora da caixa" (e do palco, claro) com "Cidade de Bronze", uma criação de Carlos Costa e Jorge Palinhos, co-produzida pelo Museu da Cidade do Porto, que pretende questionar a arte pública não apenas nos seus aspetos culturais, históricos, simbólicos e estéticos, mas também na relação afetiva e cognitiva que os espectadores estabelecem com elas, entre a familiaridade, a indiferença e o desconhecimento.
Simultaneamente, concretizamos a primeira edição  de "REENACT NOW", com a re-interpretação do espetáculo "Ibéria Sector 5", da Companhia Bonifrates, estreado em 1981. Esta atividade de investigação, que almeja contribuir para o mapeamento da memória nas artes performativas, tem direção de Carlota Castro e Carlos Costa e co-produção do Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica.

Regressamos ao palco no segundo semestre com "unraveling", um espetáculo de teatro escrito e dirigido por Ana VitorinoCarlos Costa Mafalda Banquart, co-produzido pelo Teatro Municipal do Porto e pelo Teatro Académico de Gil Vicente, e que se debruça sobre os mecanismos de poder que condicionam a linguagem e a identidade, nomeadamente a identidade profissional.

O mês de março vai levar-nos a Atenas, para uma apresentação da conferência-performativa "RAIA - ARK", desenvolvida a partir de um projeto de investigação em territórios raianos, e de um mapeamento de “fronteiras” dentro da própria cidade do Porto. Já o de junho, guiar-nos-á até à República Checa, mais propriamente até à Quadrienal de Praga, onde Carlota Castro e Inês de Carvalho ministrarão um workshop nascido da nossa criação "Um Artista da Fome".

As nossas mais recentes criações para palco "TANG PING, um western moderno sobre não ser ninguém" e "Versão Beta" continuam disponíveis para circulação nacional e internacional, assim como o nosso espetáculo todo-o-terreno "trans/missão".

O programa municipal Cultura em Expansão tem nova edição este ano, e voltamos a ser os parceiros responsáveis pela programação e mediação com as comunidades na freguesia de Campanhã. Esta quinta edição, idealizada por Inês de Carvalho e Jorge Palinhos, esboça uma saída dos moldes das programações anteriores, arriscando uma intervenção mais direcionada em torno de temas, questões ou formatos que nos parecem essenciais, e que procuram responder às especificidades do território.

Em 2023, continuamos a trabalhar no nosso projeto de base comunitária e de longo prazo "ZHA!", apoiado pelas fundações Calouste Gulbenkian e "la Caixa", através do programa Partis & Art for Change, que nos tem a nós como parceiro artístico e promotor (Inês de Carvalho) e à Fios e Desafios como parceiro social (André Sousa). Com recurso a atividades criativas, formativas e de produção artística, pretende intervir na exclusão social das comunidades ciganas pela valorização, preservação e disseminação das suas práticas culturais.

Na área da Formação, prosseguimos com as nossas Aulas de Teatro Regulares para adultos (abrindo novas inscrições em setembro), bem como com as formações intensivas. O curso "Olhar o Livro com o Corpo" arranca a 4 de fevereiro (as inscrições estão abertas até dia 28 deste mês!) e, no dia das mentiras (que bela coincidência), será a vez do "Técnicas de Improvisação". Todas estas formações são orientadas por Ana Luísa Azevedo.
Continuaremos, do mesmo modo, a apostar na realização de ações de formação específicas para a nossa vizinhança, à semelhança dos "Novos Percursos para Campanhã" que desbravámos em 2022.

No âmbito da nossa atividade de Edição, publicaremos os textos das nossas criações "O Grande Museu da Consciência de Elon Musk" e "TANG PING, um western moderno sobre não ser ninguém", contando com o apoio da Companhia das Ilhas. Lançaremos, também, os "Cadernos do REENACT NOW", com a colaboração do CEIS20 e das Edições Afrontamento; e uma nova criação vídeo, realizada por Sara Allen, a partir do supramencionado "Cidade de Bronze".

Mantemos acesa a fogueira do nosso Fogo de Campo, com mais duas sessões na Escola Profissional de Artes Performativas da JOBRA: em março com o coreógrafo e encenador Victor Hugo Pontes, e em maio com o criador Rogério Nuno Costa.

Despedimo-nos, ao fim de dois anos, de três Artistas Associados: Ervilha no Topo do Bolo, Filipe Moreira e Lapso; e damos as boas-vindas a Ana Mula, Paolle Cesar e Rita Pinheiro.

Continuamos a nossa participação nas plataformas e redes a que pertencemos: PlateiaIETMFundação Anna Lindh e APCEN; e insistimos nos objetivos de sustentabilidade que traçámos para a nossa atividade, calcorreando o tão desejado caminho para uma pegada carbónica Zero em 2030!