“Não se pode voltar atrás agora. Já não tenho nenhuma razão para viver. Tenho de arranjar prateleiras novas.” Depois do Centro Cultural de Belém nos ter convidado para com o João Paulo Seara Cardoso
“Não vão precisar de trabalhar, vão ter só de representar, que não se pode dizer que seja trabalhar, é só dizer umas coisas.” No fnal de 1997 quisemos contar uma história sem grandes mensagens, para
“Só há uma coisa que me faz confusão… são aquelas protuberâncias… aquilo são cornos ou raios de sol?” Em Porto Monocromático quisemos viver o Porto e o seu quotidiano e durante sete meses lançámo-nos