Formação

No Visões Úteis é possível encontrar ações regulares de formação, na área do teatro, de caráter anual e dirigidas a jovens e adultos. É também possível frequentar um curso dirigido a crianças e jovens com Síndrome de Asperger. E organizam-se ainda ações dirigidas aos membros da equipa nuclear.

 

Cursos de Teatro

Desde 2009 que oferecemos cursos anuais de teatro, adaptados a diferentes escalões etários, a partir dos 13 anos. Neste espaço - em horário pós-laboral - as metodologias de trabalho das artes performativas, e em particular as mais próximas aos nossos processos de trabalho (nomeadamente a escrita para cena), são projetadas como ferramentas de reflexão, autonomia, participação e felicidade.

Os grupos costumam ser bastante heterogéneos: Há quem procure um escape para o stress do quotidiano, quem busque competências específicas (comunicação, desinibição), quem se queira preparar para o acesso a graus de ensino na área, ou, pura e simplesmente quem goste de teatro, como espectador, e queira experimentar o outro lado. Mas todos são unânimes quando, no final, falam da alegria e prazer de terem estado juntos.

A propina é de apenas 25 euros mês e no final de cada ano letivo é apresentado um exercício final público, coordenado pela Monitora Ana Azevedo e criado pelos formandos.

Sim, é divertido, vem experimentar!

 

Oficinas Criativas

Estas oficinas são o resultado da experiência que acumulámos, entre 2015 e 2021, por ocasião das duas edições iniciais e que pretenderam definir e delimitar os termos possíveis de aplicação das artes à terapêutica do síndroma de Asperger. Destinam-se a formandos autistas e aos respetivos pares não autistas, numa relação de um-a-um. As formadoras são Inês de Carvalho e Ana Azevedo, que desde 2015 dinamizaram o processo de investigação. A primeira edição, em regime regular e anual, está prevista para o ano letivo 2022/23.

 

Formação Contínua da Equipa

Gostamos de gente que não se cansa de aprender e que acha sempre que sabe pouco ou que ainda pode fazer melhor. Por isso, vamos ao encontro de quem nos pode ensinar e ajudar a fazer melhor, seja no contexto das organizações que integramos (por exemplo através dos encontros promovidos pelo IETM - International Network for the Contemporary Performing Arts), seja de modo avulso, para responder a uma necessidade ou inquietação mais precisa. E sempre que possível tentamos juntar a equipa nuclear e convidados em torno de encontros próximos aos solstícios ou equinócios, sem qualquer finalidade produtiva, “apenas” para preservar uma construção coletiva de sentidos.