Visões Úteis

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home News Visões Úteis
Visões Úteis

Visões Úteis

Website URL: E-mail: This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it

 

Este sábado, dia 27, às 18h estaremos em ligação direta com o 
Teatro Bellini em Nápoles 
para uma conversa com a equipa de artistas que se encontra fechada há mais de dois meses dentro do teatro.
"Zona Rossa" é simultaneamente uma performance e uma ação de resistência: a equipa confinou-se dentro do teatro no dia em que este fechou as portas ao público e prepara um espetáculo para o dia (ainda incerto) da sua reabertura. O seu quotidiano diário e o processo de ensaios têm vindo a ser partilhados em streaming nas redes sociais.

Os interessados em participar nesta conversa, que será levada a cabo via Zoom e em inglês, poderão inscrever-se em:

Um dos artistas que integra esta equipa é o ator Alfredo Angelici com quem trabalhámos no projeto europeu "Reclaim the Future / Exige o Futuro" (2017) e que foi um dos intérpretes da nossa adaptação de "C'est Tout", a partir do texto de Marguerite Duras.
Tuesday, 16 February 2021 10:32

"Um Artista da Fome" - Nova Temporada

Um Artista da Fome - Imagem: Visões Úteis / Desenho: José A. Nunes

Imagem: Visões Úteis a partir de desenho de José A. Nunes

 

Depois do interesse despertado pela experiência-piloto das 10 sessões iniciais, abrimos a primeira temporada oficial da peça para chamada de voz "Um Artista da Fome", adaptação do conto homónimo de Franz Kafka - de 18 de fevereiro a 27 de março, às 5ªs e Sábados.

Continuamos a querer oferecer esta experiência de modo gratuito, mas desejamos também que ela possa efetivamente ajudar os artistas que passam neste momento por extremas dificuldades.
Por isso, nesta primeira temporada pedimos que participe adquirindo um bilhete, no valor mínimo de 4€. O Visões Úteis entregará o valor do seu bilhete, e a totalidade da receita de bilheteira, à APURO - Associação Cultural e Filantrópica, que tanto tem ajudado os artistas, em particular ao longo do último ano.

O acesso é feito mediante inscrição através de formulário para data e hora específica:

Após a inscrição, será enviado um e-mail com as informações necessárias para poder efetuar a chamada e conversar com um Artista da Fome. A conversa é pessoal e não será registada.
A chamada terá uma duração aproximada de 30 minutos.

SESSÕES: de 18 de fevereiro a 27 de março
Quinta-feira - 21h, 22h, 23h
Sábado - 21h, 22h, 23h

"Um Artista da Fome", a partir de “Ein Hungerkünstler” de Franz Kafka Tradução José Maria Vieira Mendes Direção e Dramaturgia Carlos Costa Interpretação e Cocriação João Oliveira Imagem José A. Nunes Coordenação de Produção Alice Prata Produção Executiva Pedro Monteiro Produção Visões Úteis, 2021

"Um Artista da Fome" é uma resposta ao apelo do Between the Seas: Mediterranean Performance Lab e do Espaço 1927, em Atenas, para o desenvolvimento de ações low-tech de ligação com os públicos e iniciativas de solidariedade.
 

Um Artista da Fome - Imagem: José A. Nunes

Imagem: José A. Nunes

 

Nos próximos dias 13 e 14 de fevereiro (sábado e domingo) disponibilizamos ao público a peça para chamada de voz "Um Artista da Fome", adaptação do conto homónimo de Franz Kafka.

"Um Artista da Fome" é uma resposta ao apelo do Between the Seas: Mediterranean Performance Lab e do Espaço 1927, em Atenas, para o desenvolvimento de ações low-tech de ligação com os públicos e iniciativas de solidariedade. Numa altura em que vimos suspensa a nossa produção de atividades artísticas ao vivo, tentamos aqui criar e partilhar um pequeno espaço de intimidade, abdicando da escala normalmente associada ao nosso trabalho, apostando no direto, no tempo real, e privilegiando a voz neste tempo de saturação de imagens.

O acesso é gratuito, mediante inscrição através de formulário para data e hora específica.
Após a inscrição, será enviado um e-mail com as informações necessárias para poder efetuar a chamada e conversar com um Artista da Fome. A conversa é pessoal e não será registada.

A chamada terá uma duração aproximada de 15 minutos.


SESSÕES:

Sábado, 13 fevereiro -
19h, 20h, 21h, 22h, 23h
Domingo, 14 fevereiro -
14h, 15h, 16h, 17h, 18h


Sentimos a cada vez maior presença dos conteúdos audiovisuais, com que os gurus do entretenimento juram ir colocar à nossa disposição séries e filmes que substituam todas as outras formas de interação humana.

Desde sempre, o Visões Úteis tem desenvolvido e experimentado formatos em que se debate com a possibilidade de alargar os sentidos da experiência artística e performativa, passando por audio-walks, automóveis, desportos, paradas, deambulações, jogos de tabuleiro e smartphones. Interessa-nos prosseguir o levantamento dessas mesmas possibilidades de encontro, ainda que agora sem uma copresença física. E perante a necessidade de, pela segunda vez no espaço de um ano, interromper a produção de atividades artísticas ao vivo, o Visões Úteis tenta aqui criar e partilhar pequenos espaços de intimidade, em que abdica da escala normalmente associada ao seu trabalho.

Como escapar então às infinitas possibilidades de domínio (não o do utilizador mas o da indústria) dos média do século XXI e ainda assim respeitar as recomendações da DGS, não só quanto ao produto mas também quanto ao seu processo criativo? A solução pareceu-nos ser um regresso ao século XIX e ao telefone que Antonio Meucci inventou, na mesma altura em que Strindberg apelava a dramaturgias de palcos e salas íntimas.

Apostamos no um-para-um e não em fóruns. Apostamos no tempo real, no direto inquestionável e não em streamings. Apostamos apenas na voz, estamos saturados de imagens. Tentamos perceber melhor de que se compõe o intangível associado à performance, em termos de contacto, comunicação, experiência e intimidade. E haverá algo mais íntimo que uma conversa telefónica, do que o ciberespaço inventado por Meucci e contemporâneo de Strindberg, que não se reproduz, não se repete e não reclama nada para lá de si? Não registaremos nada do que aconteça; ficará tudo entre um Artista da Fome e cada um/a dos/as solitários/as companheiros/as de conversa.

O Visões Úteis dedica este espetáculo a todas/os as/os Artistas da Fome que são esquecidos pelo Estado Português.

 

"Um Artista da Fome", a partir de “Ein Hungerkünstler” de Franz Kafka Tradução José Maria Vieira Mendes Direção e Dramaturgia Carlos Costa Interpretação e Cocriação João Oliveira Imagem José A. Nunes Coordenação de Produção Alice Prata Produção Executiva Pedro Monteiro Produção Visões Úteis, 2021

Diziam - João Tuna / TNSJ

(c) João Tuna / TNSJ

 

As apresentações no Porto da nossa mais recente criação "Diziam que do Outro Lado Havia um Caminho que Cortava o Tempo da Demanda em Dois" - agendadas para acontecer no Teatro Carlos Alberto entre os dias 27 e 31 de janeiro - foram suspensas na sequência do encerramento dos teatros decretados neste 2º confinamento.

O Teatro Nacional São João planeava a transmissão online dos espetáculos programadas e suspensos, mas o agravamento das medidas de confinamento acabou por não permitir a realização da filmagem para transmissão.

A viagem de "Diziam que do Outro Lado..." tem seguido lado a lado com esta demanda coletiva que é o combate à pandemia, depois da adaptação do processo de criação às contingências do confinamento da 1ª vaga, o cancelamento da estreia na Bélgica quando a 2ª vaga começou a atingir a Europa e, quando ela chegou a Portugal, a ameaça à estreia em Vila Real (que nos soube a milagre)...

Mas, como escrevemos no programa da nossa estreia, aguardamos "um novo amanhecer em que seja possível seguir caminho. E ele virá."

Até já!
Thursday, 07 January 2021 22:34

Visões Úteis em 2021!

 

Depois de todos os desafios de 2020, este será (esperamos) um ano atarefado, em que às atividades já planeadas se soma a realização de muitas das que foram adiadas pela pandemia!

A primeira metade do nosso novo ano será dedicada a três trabalhos que nos aproximam de diferentes territórios e que implicam um particular envolvimento de comunidades locais:

Previsto para o primeiro semestre de 2020, e adiado na sequência da pandemia, o projeto Demo Cimeira”, com direção de Carlos Costa e Jorge Palinhos e a colaboração de Cristina Planas Leitão e Sofia Ponte, terá lugar nos próximos meses de junho e julho. “Demo Cimeira” proporá um conjunto de encontros onde comunidades e os seus representantes políticos (ao nível local, nacional e europeu) se enfrentarão em jogos de tabuleiro.

Como nova criação deste primeiro semestre de 2021 teremos “Raia”, projeto dirigido por Ana Vitorino em cocriação com Inês de Carvalho, e que nos levará a territórios raianos a Norte para pesquisar e refletir sobre a fronteira enquanto, simultaneamente, linha divisória e espessura habitada. Este trabalho será ainda a base para a nossa participação, no início de julho, no evento português do projeto europeu “Moving Borders / ARK”, de que o Teatro Municipal do Porto é o parceiro nacional.

E, entre os meses de abril e junho, participaremos ainda no Aldear, projeto cultural em rede com direção artística de Luís Ferreira, envolvendo populações de 11 aldeias da região do Tâmega e Sousa, e visando o desenvolvimento de competências sociais e humanas a partir do trabalho artístico. A nossa participação no Aldear terá direção de João Martins.

No segundo semestre voltamos às criações para palco com a estreia do espetáculo “Versão Beta”, com texto, direção e interpretação de Carlos Costa, que aqui se lança numa exploração eminentemente autobiográfica em torno das tensões entre passado, presente e futuro. “Versão Beta” chega em outubro próximo a Coimbra (TAGV) e ao Porto (Espaço Maus Hábitos).

De regresso aos palcos nacionais estão as nossas duas mais recentes criações originais, começando já em janeiro com “Diziam que do outro lado havia um caminho que cortava o tempo da demanda em dois” que se apresenta no Teatro Carlos Alberto no Porto entre os dias 27 e 31. Em seguida será a vez de “Little B” com apresentações em Sever do Vouga (fevereiro), em Vila Real e em Gaia (março).

No plano internacional planeamos para outubro a realização na Bélgica da apresentação (que deveria ter sido a estreia absoluta) de “Diziam que do outro lado…”, no festival Internationales TheaterFest da companhia AGORA Theater - cancelado em 2020, devido às consequências da pandemia naquele país.

Também interrompidas pela pandemia e adiadas para este ano foram as nossas Oficinas Criativas para Crianças e Jovens com Perturbações do Espectro do Autismo em parceria com a APPDA – Norte. A data do (re)arranque desta atividade ficará dependente da evolução da situação pandémica nos próximos meses.

O Programa Cultura em Expansão da Câmara Municipal do Porto regressa a partir de maio e, pelo terceiro ano consecutivo, seremos parceiros para a freguesia de Campanhã. Já não apenas como mediadores entre os espetáculos apresentados e as comunidades locais, mas como responsáveis pela programação – apostando em projetos de maior proximidade e que criem pontes com essas comunidades.

A nossa atividade de Edição incluirá a publicação em livro dos textos originais de “Little B” e “Diziam que do outro lado…” pela Companhia das Ilhas, mas também a publicação digital de vídeos que documentam trabalhos na paisagem e com comunidades – “Validade”, “Raia”, “Demo Cimeira” – e de trabalhos de investigação em torno de projetos como “Validade” e as Oficinas Criativas com Jovens Autistas.

Como atividades regulares ao longo do ano, prosseguimos as Aulas de Teatro dirigidas por Ana Azevedo, a realização de ações de formação específicas em Campanhã, e a nossa participação nas associações e redes a que pertencemos – PlateiaIETMFundação Anna Lindh e, a partir deste ano, Edgeryders.

Outras novidades incluem o lançamento do nosso novo site, que está quase, quase a postos para fazer a sua “estreia”, e uma reformulação da nossa equipa fixa - com Alice Prata a assumir a Coordenação de Produção e Pedro MonteiroProdução Executiva e o Secretariado, já a partir deste mês.

E, claro, temos novos Artistas Associados que acompanharemos no biénio de 2021/2022 e que já aqui apresentámos!

Tuesday, 05 January 2021 15:16

Versão Beta

 

"Versão Beta" é a nossa criação original para palco no segundo semestre de 2021.

O espetáculo terá texto, direção e interpretação de Carlos Costa, que aqui se lança numa exploração eminentemente autobiográfica em torno das tensões entre passado, presente e futuro, a partir da teia de relações entre uma K7 beta de 1984, a leitura de uma obra iniciada em 1995 e um espetáculo em preparação desde 2008 e com estreia agendada para 2038.

“Versão Beta” chega em outubro próximo a Coimbra (TAGV) e ao Porto (Espaço Maus Hábitos). 

Tuesday, 05 January 2021 14:35

RAIA

 

Como nova criação do primeiro semestre de 2021 iremos levar a cabo o projeto “Raia”, dirigido por Ana Vitorino em cocriação com Inês de Carvalho, e que nos levará a territórios raianos a Norte para pesquisar e refletir sobre a fronteira enquanto, simultaneamente, linha divisória e espessura habitada.

Recolheremos material sobre património invisível ou esquecido partilhado pelos dois lados da Raia, e promoveremos um encontro de cariz performativo entre comunidades portuguesas e espanholas vizinhas.

Este trabalho será ainda a base para a nossa participação no evento português do projeto europeu “Moving Borders / ARK”, de que o Teatro Municipal do Porto é o parceiro nacional, e que terá lugar na nossa cidade no início de julho.

Friday, 01 January 2021 16:57

Artistas Associados 2021/2022

Artistas Associados - 2021/2022

 

São três os projetos selecionados para Artistas Associados Visões Úteis no biénio 2021/2022:

Ervilha no Topo do Bolo - Coletivo de improviso formado em 2019 no Porto e que, na sequência da pandemia, divide atualmente o seu trabalho entre espetáculos de improviso ao vivo (com programação mensal no espaço Almada Ponto) e online, mantendo o seu foco de investigação na interação e criação em tempo real com o público.

Filipe Moreira - Ator, bailarino, cantor, performer e diretor artístico, que trabalha desde 2009 como criador na área da performance, utilizando o corpo, a voz e os objetos enquanto ferramentas de pesquisa criativa para o seu trabalho. A sua prática e investigação servem-se da interpretação e de diversas ferramentas tecnológicas, partindo para a descoberta e apropriação de diferentes narrativas e experiências performáticas.

Lap.so - Companhia dirigida por Andreia Fraga e João Oliveira, que alia à criação de espetáculos próprios o desejo de estabelecer uma plataforma que promova o cruzamento e abra oportunidades a jovens artistas emergentes, nomeadamente recém licenciados em artes performativas. Os Lap.so apresentarão brevemente -“Dois Peixes em Marte”, dueto que fará parte da programação no Festival DDD Out Corpo + Cidade no Porto, em 2021.

Bem-vindos a todos!

Artistas Associados - 2021/2022

Um excelente 2021 para todos!

O nosso novo ano arranca com as boas-vindas aos novos Artistas Associados Visões Úteis que acompanharemos no biénio de 2021/2022!

Desta vez acolhemos três projetos da área da dança /performance e do teatro de improvisação - são eles Filipe Moreira, o projeto Lap.so de Andreia Fraga e João Oliveira, e o coletivo Ervilha no Topo do Bolo.

Durante os próximo meses continuaremos ainda a apoiar a atividade de dois dos projetos artísticos – das duplas Carminda e Maria Soares e Joana Castro e Maurícia Barreira Neves - cuja Associação com o Visões Úteis agora finda, mas que viram o seu trabalho adiado em 2020 devido à pandemia.

Mais informações na nossa secção Artistas Associados.

Wednesday, 11 November 2020 11:50

Validade

Validade

 

"Validade", projeto desenvolvido em coprodução com a Oficina de Guimarães e dirigido por Inês de Carvalho, explorou ao longo de 3 anos diferentes vertentes do conceito de sustentabilidade com 3 turmas do 3º ciclo de escolas de Ronfe, Urgezes e Ponte, através de 3 oficinas com o nome de "Ecos":

- “Ecos Pessoais” (2018) - coordenada por Ana Azevedo e Inês de Carvalho.
“Ecos Materiais” (2019) coordenada por Cláudia Escaleira e João Martins
“Ecos Digitais” (2020) coordenada por Ana Carvalho e Ricardo Lafuente

No final de cada ano, os alunos prepararam apresentações que foram progressivamente mais performativas e partilhadas - primeiro com os restantes alunos da sua escola, depois com as turmas das outras escolas envolvidas no projeto, e no final com o público geral.

Em 2020 a apresentação final subirá ao palco do Centro Cultural Vila Flor, no dia 3 de dezembro às 19h, tendo sofrido uma reformulação no contexto da atual pandemia: na impossibilidade de juntar as 3 turmas fisicamente no teatro, representantes de cada turma estarão em palco interagindo diretamente com os restantes alunos que participam via Zoom a partir das suas escolas.

Mais informação: https://www.ccvf.pt/detail.../validade---performance-final/

  • «
  •  Start 
  •  Prev 
  •  1 
  •  2 
  •  3 
  •  4 
  •  5 
  •  6 
  •  7 
  •  8 
  •  9 
  •  10 
  •  Next 
  •  End 
  • »
Page 1 of 26

Facebook


Visões Úteis is funded by

Secretário de Estado da CulturaDirectorate-General for the Arts (DGARTES)

Visões Úteis is a member of

Plateia - Associação dos Profissionais das Artes CénicasIETM - International Network for Contemporary Performing ArtsAnna Lindh Foundation

Visões Úteis é associado

Associação dos Amigos do Teatro da Liberdade da Palestina - The Freedom Theatre e ZERO - Associação Sistema Terreste Sustentável