Visões Úteis

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Novidades "Monstros de Vidro" - Estreia Absoluta
Terça, 22 Novembro 2011 16:29

"Monstros de Vidro" - Estreia Absoluta

Escrito por  Visões Úteis
Classifique este artigo
(0 votos)
"Monstros de Vidro" cartaz (design:João Guedes)
design:João Guedes

E é aqui que começamos a perguntar: se perdermos o controlo e nos espatifarmos lá em baixo, como é que estar dobrado para a frente com as mãos sobre a cabeça me vai salvar a vida? E se isto não me salva a vida, porque é que eles querem que eu me ponha nesta posição?



Numa história bem contada é importante começar por estabelecer um contexto. Podemos começar, por exemplo, com:
“Era uma vez um lugar onde as pessoas viviam alegres e despreocupadas. Todas tinham uma casa onde morar, trabalho e comida, e todas acreditavam num futuro radioso. Parecia que nada lhes faltava, e tudo o que precisavam materializava-se à sua frente, como que por magia. Os habitantes desse lugar eram muito espertos e estavam informados sobre praticamente todas as coisas à face da terra. Mas, estranhamente, pareciam também ter algumas crenças bizarras: que eram os únicos a habitar aquele espaço, que provavelmente viveriam jovens para sempre, que os bens que possuíam eram inesgotáveis... E por mais que a realidade lhes provasse o contrário, eles recusavam-se a ver, e tinham uma confiança ilimitada nas suas capacidades e possibilidades”.


Em 2001 o Visões Úteis co-produziu com o TNSJ o espectáculo “Orla do Bosque”. Tratava-se do último momento de um longo processo criativo, intitulado “Visíveis na Estrada Através da Orla do Bosque”, que se iniciou com o espetáculo “Estudos”, e que pelo meio passou por uma viagem de um mês pela Europa, ao encontro de diversas figuras da arte, arquitetura, cultura e política, conversando e refletindo sobre as ideias de fronteira, alteridade, espaço público e viagem. Todo o processo, e em particular o espetáculo “Orla do Bosque”, acabava por ser a reflexão de uma geração – a entrar nos 30 anos – acerca do seu papel na cidade, no espaço público. Um olhar desconfiado sobre o momento de otimismo e euforia consumista que as sociedades ocidentais atravessavam.


Em 2011 o TNSJ acolhe uma nova criação do Visões Úteis. “Monstros de Vidro” parte do desejo de falar do modo como, desde sempre, se criaram mitos e monstros para explicar e sublimar os acontecimentos traumáticos – os que acontecem devido a causas incontroláveis, mas também aqueles que resultam diretamente das nossas próprias ações enquanto indivíduos e comunidades.
Mas “Monstros de Vidro” é também um regresso ao espetáculo “Orla do Bosque”, uma década depois. Não para recriar ou atualizar esse espectáculo mas para lançar um novo olhar crítico ao nosso aqui e agora, partindo das perguntas e premissas de então. E desse olhar ninguém está a salvo.


A geração dos 30 anos está agora a chegar aos 40. Os pais começaram a morrer, os filhos passaram a ser pais. Agora conseguem reconhecer todos os pontos de vista, e sabem usar as palavras com mestria, articular os argumentos, para justificar todas as suas ações. E nunca estiveram tão perdidos nem tão assustados como hoje. Prontos para criar novos monstros... ou decidir que não.


Porto – Teatro Carlos Alberto (acolhimento Teatro Nacional S. João)


24 Novembro - Estreia adiada devido à Greve Geral / Concentração pela Cultura às 21h30 no Teatro Carlos Alberto

25 de Novembro a 4 Dezembro
Quarta a Sábado - 21h30
Domingo - 16h

 

Monstros de Vidro 

40.ª criação Visões Úteis

texto e direção Ana Vitorino, Carlos Costa

cenografia e figurinos Inês de Carvalho

banda sonora original e sonoplastia João Martins

desenho de luz José Carlos Coelho

elementos gráficos e audiovisuais entropiadesign

co-criação Ana Azevedo, Nuno Casimiro, Pedro Carreira


interpretação Ana Azevedo, Ana Vitorino, Carlos Costa, Pedro Carreira e ainda Inês de Carvalho; voz-off Alice Costa


música adicional: "Perfidia" (Alberto Domínguez), "Music to watch girls by" (Sid Ramin), "Crema Batida" (Al Caiola), "Viva la Vida-Instrumental" (Coldplay)

produção Visões Úteis

duração aproximada [1:30]

classificação etária M/16 anos


Próximas apresentações:

Coimbra – Teatro Académico de Gil Vicente (7 de dezembro)

Aveiro – Estúdio Performas (10 de dezembro)
Última modificação em Terça, 22 Novembro 2011 18:25

Recentes


Facebook

Newsletter

Para receber as nossas novidades comodamente na sua caixa de correio, subscreva a nossa Newsletter.



Receber em HTML?


O Visões Úteis é uma estrutura financiada

Secretário de Estado da CulturaDireção Geral das Artes

O Visões Úteis é membro de

Plateia - Associação dos Profissionais das Artes CénicasIETM - International Network for Contemporary Performing ArtsAnna Lindh Foundation