Visões Úteis

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Criações Mostrar artigos por etiqueta: 2009
Mostrar artigos por etiqueta: 2009
Segunda, 08 Novembro 2010 12:58

Os Ossos de que é Feita a Pedra [Guião]

Guião do audiowalk homónimo, de 2009. Realizado em Santiago de Compostela, Espanha.
Disponíveis versões em galego e inglês.

Licença Creative Commons

"Os Ossos de que é Feita a Pedra" (versão em galego), de Ana Vitorino, Carlos Costa, Catarina Martins e Pedro Carreira está publicado ao abrigo duma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Portugal License.

"Os Ossos de que é Feita a Pedra" (versão em inglês), de Ana Vitorino, Carlos Costa, Catarina Martins e Pedro Carreira está publicado ao abrigo duma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Portugal License.

Descarregue, partilhe, utilize e transforme. Mas exclusivamente para fins não comerciais e creditando sempre as autorias originais. E volte a partilhar eventuais obras derivadas deste mesmo modo.

Publicado em Textos Originais
Sexta, 23 Julho 2010 17:16

O Anzol [Guião]

Guião da peça homónima, estreada pelo Visões Úteis em 2009.

O original deste texto está sujeito às regras gerais do Direito de Autor. Por favor descarregue e partilhe mas qualquer tipo de utilização está sujeito à autorização da autora ( Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ou através dos seus representantes na SGAE). Em caso de autorização por favor utilize gratuitamente, para fins não comerciais e devidamente creditada, a tradução portuguesa da autoria de Ana Vitorino, Carlos Costa e Catarina Martins / Visões Úteis.

Publicado em Traduções
Segunda, 12 Julho 2010 16:39

O Anzol

“E enquanto corto a cebola penso num final feliz; um final em que não morra tanta gente.”

“O Anzol” é a segunda incursão do Visões Úteis na obra da dramaturga catalã Gemma Rodríguez. A peça mostra um momento decisivo na vida de três personagens que, nas palavras da  autora, “têm em comum as suas vidas fracassadas mas não perdem a esperança de apanhar o anzol da felicidade”.

“O Anzol” estreou a 23 de Abril de 2009 no Pequeno Auditório do Teatro Municipal de Vila Real.

Sinopse

“O Anzol” retrata um momento crítico na vida de três “perdedores” : Lena, o seu pai e a sua vizinha do lado, Irene.
Lena decidiu convidar o pai, um ex-alcoólico em recuperação com quem não fala há dois anos, para um jantar. Enquanto espera que ele chegue, desespera com o atraso do seu companheiro, que já deveria ter chegado a casa com os filhos dela. No apartamento ao lado, Irene aguarda a chegada dos funcionários do gás, que chamou após ter detectado uma fuga. A caminho do edifício, o pai de Lena prepara-se para tentar recuperar o amor dos netos e a confiança da filha.

Influenciada pela dramaturgia alemã contemporânea, em “O Anzol” Gemma Rodríguez alia com mestria a amargura à comicidade, a fantasia poética à rude realidade, numa obra em que a tensão cresce minuto a minuto, em direcção a um desfecho que tem tanto de dramático como de banal.

“O Anzol”
34ª criação Visões Úteis / uma co-produção com o Teatro Municipal de Vila Real

texto
Gemma Rodríguez

tradução e direcção
Ana Vitorino, Carlos Costa e Catarina Martins

cenografia e figurinos
Inês de Carvalho

desenho de luz
José Carlos Coelho

banda sonora original e sonoplastia
João Martins

interpretação
Ana Vitorino, Carlos Costa, Catarina Martins, Pedro Carreira
e Gemma Rodríguez e Paula Seabra (voz-off)

coordenação técnica
Luís Ribeiro

assistência cenográfica
Rui Azevedo

produção executiva
Joana Neto

assistência de produção
Helena Madeira

design gráfico
entropiadesign a partir de imagem de Ricardo Lafuente

classificação etária
M/12

duração
60 minutos

“O Anzol” estreou a 23 de Abril de 2009 no Pequeno Auditório do Teatro Municipal de Vila Real no âmbito do Festival Vinte e Sete. Em Dezembro de 2009 esteve em cena no Teatro Helena Sá e Costa (Porto).

Publicado em Espectáculos
Segunda, 12 Julho 2010 16:37

Os Ossos de que é Feita a Pedra

“Aos primeiros raios de sol, o homem riscou na terra um quadrado perfeito e começou a escavar.”

“Os ossos de que é feita a pedra” é um audiowalk criado para as instalações da Cidade da Cultura da Galiza em Santiago de Compostela, a convite da Fundácion Cidade da Cultura de Galícia (organismo criado e tutelado pela Xunta de Galicia).

Sinopse

A Cidade da Cultura da Galiza, instalada no Monte Gaiás em Santiago de Compostela, é um complexo arquitectónico desenhado por Peter Eisenmann com o intuito de albergar um conjunto de instalações dedicadas à arte e à preservação da memória daquela região: Museu Nacional, Arquivo e Biblioteca, Teatro, Centro de Arte Internacional. O processo de construção iniciou-se há mais de uma década e não está ainda concluído.
No decorrer de todo este tempo a Cidade da Cultura tem, no entanto, sido local de visitas frequentes de todas as nacionalidades (populações escolares, arquitectos, estudiosos, imprensa, etc) e foi com o objectivo de disponibilizar a este público uma visita que ultrapassasse os aspectos meramente técnicos que surgiu o convite ao Visões Úteis para a realização deste audiowalk.

“Os ossos de que é feita a pedra” leva um grupo de espectadores através de uma cidade artificial, ainda vazia de vida, mergulhando-os num ambiente que reflecte simultaneamente os futuros conteúdos da cidade e a imensidão do gesto implicado na sua construção.



“Os ossos de que é feita a pedra”
33ª criação Visões Úteis

texto e direcção
Ana Vitorino, Carlos Costa e Catarina Martins

paisagem sonora e engenharia de som
João Martins

intervenções plásticas
Inês de Carvalho

colaboração na escrita
Nuno Casimiro

interpretação
José Barato, María Bouzas e Rocío González

produção
Xunta de Galicia e Fundación Cidade da Cultura



O Visões Úteis é uma estrutura financiada

Ministério da CulturaDireção Geral das Artes

O Visões Úteis é membro

Plateia - Associação dos Profissionais das Artes Cénicas IETM - International Network for Contemporary Performing Arts Anna Lindh Foundation

Visões Úteis é associado

Associação dos Amigos do Teatro da Liberdade da Palestina - The Freedom Theatre e ZERO - Associação Sistema Terreste Sustentável