Cidade dos Diários : Quotidianos
Um projecto fotográfico de Paulo Pimenta.

Quinta-feira, Maio 12, 2005

Diário 7

08:13
Afinal tudo não passou de um sonho, estava quase a encontrar-me com a Amélia e de repente acordei. É mágico por vezes acreditar mais rápido nos sonhos do que na realidade: Não fiquei nada contente em ter acordado, queria conhecer o fantasma que me acompanhou durante estes dias todos, fiquei sempre na dúvida se a pessoa que procurava era a mesma que foi encontrada morta a boiar no rio, sem documentos.
Bem, tenho que voltar à realidade, a este mundo tão confuso, stressante e vazio, continuar a dormir poderia ser uma boa opção, mas seria difícil rescuperar o sonho que estava a ter. Estou acordado e já estou a sentir a verdadeira realidade…

COMISSÃO RESPONSÁVEL DESCONHECIA A SITUAÇÃO
TRIBUNAL DECRETOU PRISÃO PREVENTIVA PARA O PAI E AVÓ DE VANESSA,OS ALEGADOS AUTORES DO HOMICÍDIO

AGONIA DUROU TRÊS DIAS
JORNAL PÚBLICO 05/05/2005

O caso da menina de cinco anos atirada ao rio já sem vida

PAI MARQUES MENDES PEDIU “CUNHA” A VALENTIM
Histórico do PSD escreveu duas cartas ao major para colocar conhecido na liga de futebol
JORNAL METRO 11/05/2005
ABEL PINHEIRO E NOBRE GUEDES SUSPEITOS DE TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS EM EMPREENDIMENTO TURÍSTICO
Três ministros do Governo de Santana Lopes proferiram quatro dias antes das eleições despacho que favoreceu empresa com ligações ao Grupo Espírito Santo
JORNAL PÚBLICO 11/05/2005


ASSEMBLEIA MUNICIPAL
PORTO
PEDIR CASA…
ERAM JÁ 01H45. UMA BELA HORA PARA A INTERVENÇÃO DE QUEM PRECISA DE CASA E SE DÁ AO TRABALHO DE ENFRENTAR A ASSEMBLEIA DOS REPRESENTANTES DA CIDADE PARA PEDIR.
JORNAL PÚBLICO 11/05/2005

EM QUE MUNDO ESTOU EU ???

Levantei, andei de um lado para o outro, sem saber o que fazer. Enfiei a mão no blusão e senti a arma gelada nos dedos. Pensei em Marie. Em Eduarda. No Roque. Na minha orquestra. Na música. Tudo havia acabado, enfim. Secado. Não era mais possível voltar para o hotel, não era mais possível continuar. Nem ficar, nem parar, nem me movimentar.
Patrícia Melo, "Valsa Negra"


Ver DIÁRIO 7
(requer Flash Player)


12/05/2005
Paulo Pimenta

Publicado por VU às 17:01 : Link Permanente
4 comentário(s)  

Terça-feira, Maio 03, 2005

Diário 6

02:09
Na verdade, quando estamos infelizes, sentimos com maior violência a infelicidade dos outros; o sentimento não se destrói, concentra-se…
Eu viera com o coração aberto, contando as horas que faltavam para o encontro. Nem sequer admitia que hoje iria ficar deprimido, que tudo acabaria de uma maneira diferente da habitual.
Fédor Dostoievski, "Noites Brancas"

Ver DIÁRIO 6
(requer Flash Player)


03/05/2005
Paulo Pimenta

Publicado por VU às 16:58 : Link Permanente
0 comentário(s)  

Domingo, Maio 01, 2005

Diário 5

03:35
Porque a identidade de cada qual é algo de fugidio, casual e mutável, de modo que, se deixarmos de olhar para alguém durante muito tempo, podemos perdê-lo para sempre, do mesmo modo como estamos a olhar para um peixinho num aquário e de repente nos distraímos, e, quando voltamos a olhar, já não há quem o distinga de entre todos os outros da sua espécie.
Rosa Montero, "A Filha do Canibal"

Ver DIÁRIO 5
(requer Flash Player)


01/05/2005
Paulo Pimenta

Publicado por VU às 16:56 : Link Permanente
0 comentário(s)  

Segunda-feira, Abril 25, 2005

Diário 4

Hoje assinala-se o 31º aniversário do 25 de Abril. Não vivi o fascismo,a guerra colonial, salaze, exílio, silêncio, medo.
Estou aqui para festejar mais um dia de liberdade que demorou 41 anos a atingir.


Ler não sabiam, mas contar era mole para eles. Adentraram o 301. Pelé e Pará partiram para os narizes, deram várias coronhadas. Mancharam de sangue o lençol de esperma. Duas mortes espalhadas pelo quarto.
Amarraram os cadáveres e jogaram no banheiro. Recolheram da carteira do homem o dinheiro destinatário ao pagamento do táxi; na bolsa da mulher não encontraram nada.
Paulo Lins, "Cidade de Deus"

Ver DIÁRIO 4
(requer Flash Player)


25/04/2005
Paulo Pimenta

Publicado por VU às 16:46 : Link Permanente
0 comentário(s)  

Sexta-feira, Abril 22, 2005

Diário 3

18:30
Finalmente conheci Amélia. Foi no dia 20 de Abril às 17h. Não esperava encontrá-la, foi um momento estranho, inclinei-me para ela e perguntei se podia beijá-la, ela não respondeu
–Acho que posso…

Depois disto dei conta de ver algumas pessoas a ler num espaço. Parecia uma sala de ensaios e, em voz alta, alguém exclamou: “Chamava-se Amélia… é engraçado como fixamos um nome… Amélia”.
Está tudo mais claro para mim. Afinal, Amélia não estava ali, continuo sem saber quem é.




– Ela não vai gostar disso– disse.
– Ela está morta, parvo– respondeu-lhe Harry, primo de 7 anos, conhecedor dos factos–, completamente morta ,não sabe nada do que se vai passar.
– Quando é que ela volta?
– Nunca. Nunca voltamos quando estamos mortos.
– Mas quando volta ela?
– Nunca, nunca, nunca mais. Ela está no céu, parvo.
– Quando é que ela volta? Avô? Quando, avô?
Ian McEwan, "Cães Pretos"

Ver DIÁRIO 3

(requer Flash Player)



22/04/2005
Paulo Pimenta

Publicado por VU às 22:35 : Link Permanente
0 comentário(s)  

Terça-feira, Abril 19, 2005

02:48
Afinal o novo Papa não é português, mas sim um alemão, Joseph Ratzinger. O mundo católico está mais feliz, ao segundo dia saiu da chaminé do Vaticano fumo branco e os sinos tocaram. E eu amanhã vou assistir a um ensaio às 17h, terei o prazer de conhecer a Amélia e espero poder fotografá-la. Ela deve ser muito interessante…

03:35

"Como não há inferno, o diabo tem de andar pela Terra, mas agora já é velho e vive de esmolas. Pode estar aos pés da vossa cama e pode até pregar-vos sustos, mas já não está em posição de comprar a vossa alma. Não tem nada para vos oferecer que vós não possais arranjar pelos vossos próprios meios. Há coisas piores, de que devemos ter mais medo do que do diabo, que, afinal, não é pior do que eu fiz."
Frank Ronan, "A Morte de um Herói"

Por agora chega. Vou dormir.

19/04/2005
Paulo Pimenta

Publicado por VU às 16:27 : Link Permanente
0 comentário(s)  

Quinta-feira, Abril 14, 2005

Diário 2

02:30
Hoje finalmente a Casa da Música inaugurou e eu começo o dia muito cedo.

07:30
É bom acordar, o mundo continua a existir e eu também. Em todo o caso decidi não dormir mais, demorei 30 minutos a levantar-me, começo a achar qie é uma violência acordar tão cedo, mas também não interessa nada o meu drama matinal.
Acordei com o guião ao meu lado, o dia está cinzento e tenho que me apressar.
Estando eu a preparar-me para sair para a rua e ouvindo o "Nick Cave and The Bad Seeds", surgiu-me a ideia de registar o percurso até ao trabalho. Não é igual todos os dias, hoje resolvi ir de autocarro, já há algum tempo que não fazia.

Ver DIÁRIO 2
(requer Flash Player).




Praticamente todos dias tenho alguém que me observa do outro lado.


14/04/2005
Paulo Pimenta

Publicado por VU às 15:40 : Link Permanente
1 comentário(s)