Visões Úteis

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Works Displaying items by tag: 2006
Displaying items by tag: 2006
Monday, 08 November 2010 15:14

Mal Vistos [Guião]

Guião da peça homónima, estreada pelo Visões Úteis em 2006.

O original deste texto está sujeito sujeito às regras gerais do Direito de Autor. Por favor descarregue e partilhe mas qualquer tipo de utilização está sujeito à autorização da autora Gemma Rodríguez ( This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it ) ou através dos seus representantes na SGAE). Em caso de autorização da autora original por favor utilize gratuitamente, para fins não comerciais e devidamente creditada, a tradução portuguesa da autoria de Ana Vitorino, Carlos Costa e Catarina Martins / Visões Úteis.

Published in Translations
Monday, 21 June 2010 18:01

A Frente do Progresso

“Os dois pioneiros do comércio e do progresso passavam dias a olhar o vazio. O rio corria calmo debaixo do sol vibrante. E a toda a volta, a imensa floresta, plena de vida, estendia-se no eloquente silêncio daquela grandeza muda. Kayerts e Carlier não percebiam nada. Não queriam saber de nada.”

A Frente do Progresso é a primeira produção do projecto A Caminho do Resto do Mundo, uma reflexão sobre o nosso tempo e lugar a partir da escrita de Joseph Conrad.

É uma adaptação do conto “An Outpost of Progress” de Joseph Conrad, que se instala no palco, brincando com maquinaria e convenção teatral, para contar ao público uma história tão longínqua - no espaço e no tempo - e tão próxima.

Estreou a 29 de Março de 2007 no Teatro Carlos Alberto, em co-produção com o Teatro Nacional São João.

Sinopse

Kayerts e Carlier estão encarregues de um entreposto comercial, nas margens de um rio, no coração da selva. Rodeados por uma imensidão que se torna mais estranha e incompreensível pelas visões fugazes e misteriosas da vida intensa que contêm, os dois homens são como crianças e não têm qualquer preparação para enfrentar tal desafio. Uma parábola do nosso mundo num registo cómico e grotesco.

Estreia a 29 de Março de 2007 no Teatro Carlos Alberto, em co-produção com o Teatro Nacional São João.

A Frente do Progresso
a partir de “An Outpost of Progress” (1897), de Joseph Conrad

dramaturgia e direcção
Ana Vitorino, Carlos Costa e Catarina Martins

cenografia
João Calvário, a partir de ilustrações originais de José Carlos Fernandes

figurinos
Ana Luena, a partir de ilustrações originais de José Carlos Fernandes

banda sonora original e sonoplastia
João Martins

desenho de luz
José Carlos Coelho

interpretação
Ana Vitorino, Carlos Costa, Miguel Rosas, Pedro Carreira e Rui Queirós de Matos

apoio dramatúrgico
Nuno Casimiro

caracterização
Anita Novais

adereços e execução de cenografia
João Calvário, Luísa Soares, Pedro Raposo

máscaras
Cristóvão Neto

execução de guarda-roupa
Ana Maria Fernandes

enchimentos
Jonas Ribeiro

coordenação de montagem e assistência de iluminação
Luís Ribeiro

produção executiva
Marina Freitas

Published in Theatre Plays
Monday, 21 June 2010 17:51

Mal Vistos

“Um homem tosse. Tosse uma tosse seca, de mil anos de tabaco nos pulmões.”

A tensão criada pelo espaço claustrofóbico dos escritórios de uma empresa, tendo como pano de fundo os processos de globalização e deslocalização do trabalho.

Com este espectáculo Gemma Rodriguez foi pela primeira vez  apresentada ao público português.

Mal Vistos recebeu o “Prémio Maria Teresa Léon 2002”.

Estreou em Maio de 2006 no FITEI/Porto.

Sinopse

Em redor das instalações da sucursal de uma multinacional alemã, uma multidão avoluma-se e protesta contra os despedimentos massivos, o inevitável encerramento, a previsível deslocalização.

Lá dentro vive-se mais um dia sem trabalho. Num clima de crescente tensão e desconfiança, mimam-se os procedimentos necessários à manutenção das aparências. Quatro homens, quadros superiores da empresa, evitam a tudo o custo admitir abertamente o fracasso e a sua impotência face à situação. Agarrando-se à ideia da sua superioridade hierárquica, debatendo-se com a frustração, o sentimento de culpa e a incerteza do seu futuro, tentam esconder uma verdade gritante: estão ultrapassados e são dispensáveis.

Estreou a 31 de Maio de 2006 no Teatro Carlos Alberto no Porto, integrado no XXIX FITEI. Foi ainda apresentado em Aveiro e Coimbra, tendo sido reposto no Porto em Novembro de 2007 no Teatro Helena Sá e Costa, num total de 15 apresentações.

tradução
Ana Vitorino, Carlos Costa e Catarina Martins, a partir do original castelhano de 2003 e do original catalão na versão de 2006

direcção
Ana Vitorino e Carlos Costa

cenografia, adereços e figurinos
Ana Luena

desenho de luz
José Carlos Coelho

banda sonora original e sonoplastia:
João Martins

interpretação
Ana Vitorino, Carlos Costa, Miguel Rosas, Nuno Simões, Pedro Carreira e Valdemar Santos

design gráfico
Vitor Azevedo

coordenação de montagem
Luís Ribeiro

assistente de cenografia
Júlio Alves

produção executiva
Marina Freitas

produção
Visões Úteis

Published in Theatre Plays

Visões Úteis is funded by

Secretário de Estado da CulturaDirectorate-General for the Arts (DGARTES)

Visões Úteis is a member of

Plateia - Associação dos Profissionais das Artes CénicasIETM - International Network for Contemporary Performing ArtsAnna Lindh Foundation

Visões Úteis é associado

Associação dos Amigos do Teatro da Liberdade da Palestina - The Freedom Theatre e ZERO - Associação Sistema Terreste Sustentável