Visões Úteis

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Works Displaying items by tag: 2006
Displaying items by tag: 2006
Monday, 08 November 2010 15:14

Mal Vistos [Guião]

Guião da peça homónima, estreada pelo Visões Úteis em 2006.

O original deste texto está sujeito sujeito às regras gerais do Direito de Autor. Por favor descarregue e partilhe mas qualquer tipo de utilização está sujeito à autorização da autora Gemma Rodríguez ( This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it ) ou através dos seus representantes na SGAE). Em caso de autorização da autora original por favor utilize gratuitamente, para fins não comerciais e devidamente creditada, a tradução portuguesa da autoria de Ana Vitorino, Carlos Costa e Catarina Martins / Visões Úteis.

Published in Translations
Monday, 21 June 2010 18:01

A Frente do Progresso

“Os dois pioneiros do comércio e do progresso passavam dias a olhar o vazio. O rio corria calmo debaixo do sol vibrante. E a toda a volta, a imensa floresta, plena de vida, estendia-se no eloquente silêncio daquela grandeza muda. Kayerts e Carlier não percebiam nada. Não queriam saber de nada.”

A Frente do Progresso é a primeira produção do projecto A Caminho do Resto do Mundo, uma reflexão sobre o nosso tempo e lugar a partir da escrita de Joseph Conrad.

É uma adaptação do conto “An Outpost of Progress” de Joseph Conrad, que se instala no palco, brincando com maquinaria e convenção teatral, para contar ao público uma história tão longínqua - no espaço e no tempo - e tão próxima.

Estreou a 29 de Março de 2007 no Teatro Carlos Alberto, em co-produção com o Teatro Nacional São João.

Sinopse

Kayerts e Carlier estão encarregues de um entreposto comercial, nas margens de um rio, no coração da selva. Rodeados por uma imensidão que se torna mais estranha e incompreensível pelas visões fugazes e misteriosas da vida intensa que contêm, os dois homens são como crianças e não têm qualquer preparação para enfrentar tal desafio. Uma parábola do nosso mundo num registo cómico e grotesco.

Estreia a 29 de Março de 2007 no Teatro Carlos Alberto, em co-produção com o Teatro Nacional São João.

A Frente do Progresso
a partir de “An Outpost of Progress” (1897), de Joseph Conrad

dramaturgia e direcção
Ana Vitorino, Carlos Costa e Catarina Martins

cenografia
João Calvário, a partir de ilustrações originais de José Carlos Fernandes

figurinos
Ana Luena, a partir de ilustrações originais de José Carlos Fernandes

banda sonora original e sonoplastia
João Martins

desenho de luz
José Carlos Coelho

interpretação
Ana Vitorino, Carlos Costa, Miguel Rosas, Pedro Carreira e Rui Queirós de Matos

apoio dramatúrgico
Nuno Casimiro

caracterização
Anita Novais

adereços e execução de cenografia
João Calvário, Luísa Soares, Pedro Raposo

máscaras
Cristóvão Neto

execução de guarda-roupa
Ana Maria Fernandes

enchimentos
Jonas Ribeiro

coordenação de montagem e assistência de iluminação
Luís Ribeiro

produção executiva
Marina Freitas

Published in Theatre Plays
Monday, 21 June 2010 17:51

Mal Vistos

“Um homem tosse. Tosse uma tosse seca, de mil anos de tabaco nos pulmões.”

A tensão criada pelo espaço claustrofóbico dos escritórios de uma empresa, tendo como pano de fundo os processos de globalização e deslocalização do trabalho.

Com este espectáculo Gemma Rodriguez foi pela primeira vez  apresentada ao público português.

Mal Vistos recebeu o “Prémio Maria Teresa Léon 2002”.

Estreou em Maio de 2006 no FITEI/Porto.

Sinopse

Em redor das instalações da sucursal de uma multinacional alemã, uma multidão avoluma-se e protesta contra os despedimentos massivos, o inevitável encerramento, a previsível deslocalização.

Lá dentro vive-se mais um dia sem trabalho. Num clima de crescente tensão e desconfiança, mimam-se os procedimentos necessários à manutenção das aparências. Quatro homens, quadros superiores da empresa, evitam a tudo o custo admitir abertamente o fracasso e a sua impotência face à situação. Agarrando-se à ideia da sua superioridade hierárquica, debatendo-se com a frustração, o sentimento de culpa e a incerteza do seu futuro, tentam esconder uma verdade gritante: estão ultrapassados e são dispensáveis.

Estreou a 31 de Maio de 2006 no Teatro Carlos Alberto no Porto, integrado no XXIX FITEI. Foi ainda apresentado em Aveiro e Coimbra, tendo sido reposto no Porto em Novembro de 2007 no Teatro Helena Sá e Costa, num total de 15 apresentações.

tradução
Ana Vitorino, Carlos Costa e Catarina Martins, a partir do original castelhano de 2003 e do original catalão na versão de 2006

direcção
Ana Vitorino e Carlos Costa

cenografia, adereços e figurinos
Ana Luena

desenho de luz
José Carlos Coelho

banda sonora original e sonoplastia:
João Martins

interpretação
Ana Vitorino, Carlos Costa, Miguel Rosas, Nuno Simões, Pedro Carreira e Valdemar Santos

design gráfico
Vitor Azevedo

coordenação de montagem
Luís Ribeiro

assistente de cenografia
Júlio Alves

produção executiva
Marina Freitas

produção
Visões Úteis

Published in Theatre Plays

Premiering / Available for Touring

Latest


Visões Úteis is funded by

Secretário de Estado da CulturaDirectorate-General for the Arts (DGARTES)

Visões Úteis is a member of

Plateia - Associação dos Profissionais das Artes CénicasIETM - International Network for Contemporary Performing ArtsAnna Lindh Foundation

Visões Úteis é associado

Associação dos Amigos do Teatro da Liberdade da Palestina - The Freedom Theatre e ZERO - Associação Sistema Terreste Sustentável