Visões Úteis

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home News Displaying items by tag: Gregory Motton
Displaying items by tag: Gregory Motton
Monday, 08 November 2010 15:08

Um Monólogo [Guião]

Uma peça curta de Gregory Motton, integrada no espectáculo Celebração, estreada pelo Visões Úteis em 2002.

O original deste texto está sujeito sujeito às regras gerais do Direito de Autor. Por favor descarregue e partilhe mas qualquer tipo de utilização está sujeito à autorização do respectivo autor, Gregory Motton. Em caso de autorização do autor original por favor utilize gratuitamente, para fins não comerciais e devidamente creditada, a tradução portuguesa da autoria de Carlos Costa / Visões Úteis.

Published in Translations
Monday, 21 June 2010 15:29

Celebração

“Esta celebração interminável. Vai ser a minha morte.”

“Celebração” parte de dois textos: “Eu que servi o Rei de Inglaterra” do checo Bohumil Hrabal (adaptado) e “A Monologue” do inglês Gregory Motton. De um lado, um homem prepara a mesa onde será servida uma grande refeição. Do outro, um homem senta-se dignamente à mesa saboreando a sua refeição. A imagem pode ser enganadora ­ o primeiro prepara-se para seguir o exemplo dos homens bem sucedidos que até aí serviu, e o segundo é de facto um condenado à morte.
Dois monólogos que representam as duas faces daquele momento em que o mundo se divide entre os que celebram e os que são marginalizados ou mesmo eliminados.

Estreou a 22 de Março de 2002 no Tzero.com.palco no Porto. Além do Porto, foi apresentada em Vila Real, Espinho, Aveiro, Maia e Paços de Brandão num total de 30 apresentações.

direcção
Ana Vitorino, Carlos Costa, Catarina Martins e Pedro Carreira

concepção plástica
Paulo Soares

construção cenográfica
Pedro Leitão e Vau Produções

confecção de figurinos
Branca Elísio

banda sonora original e sonoplastia
João Martins

desenho de luz
José Carlos Coelho

design gráfico
Vitor Azevedo

operação som e luz
Ana Vitorino

produção executiva
Ágata Marques Fino

"Eu que servi o Rei de Inglaterra" de Bohumil Hrabal

tradução
Ludmila Dismanová e Mário Gomes

adaptação
Ana Vitorino

interpretação
Carlos Costa

"Um Monólogo" de Gregory Motton

tradução
Carlos Costa

interpretação
Pedro Carreira

Published in Theatre Plays
Monday, 21 June 2010 15:11

Recado aos Corações Despedaçados

“Há sempre qualquer merda que está mal.”

As palavras são sempre as erradas. O momento nunca é oportuno. As decisões nunca são o que parecem. As relações não correm nunca como nos romances nem nos filmes. Corremos uns para os outros e acabamos a empurrar-nos. Se conseguíssemos ser normais... Só por um instante.
Trabalho criado em estreita colaboração com o autor, Gregory Motton, cimentando uma relação de cumplicidade que muito nos orgulha.

Co-produção com a Culturporto/Rivoli-Teatro Municipal e Centro Cultural de Belém.
Estreou a 16 de Novembro de 2000 no Rivoli no Porto. Além do Porto foi apresentado em Lisboa, Beja, Coimbra, Póvoa do Varzim, Viana do Castelo, Portalegre e Estarreja num total de 27 apresentações.

Recado aos Corações Despedaçados (no original Message for the Broken Hearted) é uma peça da autoria de Gregory Motton, escrita em 1991 e apresentada pela primeira vez ao público no Liverpool Playhouse em 1993, numa encenação de Ramin Gray.

A produção do Visões Úteis é a primeira deste texto em Portugal e partiu de uma tradução de Pedro Marques revista por Maria Helena Guimarães.

Para a criação deste espectáculo os seus directores e intérpretes— Ana Vitorino, Carlos Costa, Catarina Martins e Pedro Carreira— estiveram em Londres a trabalhar com o autor, Gregory Motton, no início do processo de ensaios.

Destas sessões de trabalho, onde estiveram também presentes Ramin Gray e Pedro Marques, surgiu não só a versão final da tradução que levamos à cena como uma aprofundada análise dramatúrgica que determinou o posterior trabalho de encenação, levado a cabo em Portugal.

realização plástica
Paulo Soares

figurinos
Sofia Matos Soares

desenho de luz
Pedro Marques

banda sonora original e sonoplastia
João Martins

fotografia
Susana Paiva

imagem gráfica
Vitor Azevedo

produção executiva
Ágata Marques Fino

secretariado
Nuno Casimiro

Published in Theatre Plays
Monday, 21 June 2010 11:05

Gato e Rato

“Não se pode voltar atrás agora. Já não tenho nenhuma razão para viver. Tenho de arranjar prateleiras novas.”

Depois do Centro Cultural de Belém nos ter convidado para com o João Paulo Seara Cardoso fazer esta peça ficámos de pé atrás. Não conhecíamos o autor e parecia um "trabalho por encomenda". Decidimos dar o benefício da dúvida, lemos o texto e ficámos imediatamente apaixonados pelo estilo corrosivo de Gregory Motton e a sua escrita sobre a tirania de uma sociedade sem tiranos, sobre o mundo actual de pequenas idiossincrasias e grandes questões que se diluem por serem muitas. Se com o João Paulo redescobrimos o prazer da liberdade e da loucura, com Gregory Motton aprendemos porque é que se estão a dar "todas as casas às baleias" e que "aquela coisa grande e azul do lado de fora da janela" é o céu. Primeiro contacto com o dramaturgo Gregory Motton, que veio a ser uma presença assídua no nosso trabalho.

Estreou a 18 de Setembro de 1997 no Balleteatro Auditório no Porto. Além do Porto, foi apresentado em Tondela, Coimbra, Aveiro, Lisboa, Braga e Vila do Conde num total de 27 apresentações.

texto
Gregory Mottton

tradução
Espirídia Viterbo, Jean Ann Burrows e João Paulo da Cunha Galvão

encenação
João Paulo Seara Cardoso

cenário
João Paulo Seara Cardoso e Eduardo Loio

figurinos
Judite Oliveira

banda sonora original
Albrecht Loops

desenho de luz
António Real

efeitos especiais
José Cunha

fotografia
Limamil

grafismo
Eduardo Loio

interpretação
Ana Vitorino, Carlos Costa, Nuno Cardoso e Pedro Carreira

operação de luz
Paulo Rodrigues

operação de som
Catarina Martins

coordenação de produção
Lucinda Gomes

produção executiva
Catarina Martins e Lucinda Gomes

Published in Theatre Plays

Premiering / Available for Touring


Facebook


Visões Úteis is funded by

Secretário de Estado da CulturaDirectorate-General for the Arts (DGARTES)

Visões Úteis is a member of

Plateia - Associação dos Profissionais das Artes CénicasIETM - International Network for Contemporary Performing ArtsAnna Lindh Foundation

Visões Úteis é associado

Associação dos Amigos do Teatro da Liberdade da Palestina - The Freedom Theatre e ZERO - Associação Sistema Terreste Sustentável